18 de agosto de 2017

Tutoriais que talvez eu nunca faça!


É hora de confessar que "DIY" e aquela coisa na minha vida: eu guardo vários tutoriais interessantíssimos, porém nunca farei nada daquelas maravilhas nessa minha existência.
Eu esqueço, mudo de ideia, ou simplesmente me dá preguiça. Salvar diy's é o meu pecado. Já salvo sabendo que há somente 20% de chances de colocar a mão na massa. Isso é triste huahua.
Vim falar de PELO MENOS cinco tutoriais que eu queria fazer e que nunca cumpri, quem sabe alguém lê e faz:


Fazer tinta ecológica usando floreeeeees *-* é algo que eu com certeza quero queria experimentar numa folha de desenho! 

15 de agosto de 2017

Sakura, minha flor de cerejeira.


Dia 15 de agosto era para ser o aniversário de catorze anos da minha gata Sakura. Ela faleceu um mês antes.
Tudo começou em uma manhã pós-chuva, caía uma garoa bem fininha, e soubemos (eu e minha irmã) que a gata da minha bisavó finalmente havia dado à luz aos filhotinhos. Descemos correndo as escadas, e vimos aninhados numa casinha improvisada de papelão, vários recém nascidos. No primeiro momento, me encantei com o único filhote pretinho.
Sabíamos que os gatinhos seriam adotados por outras pessoas quando desmamassem. Então aproveitávamos e brincávamos com eles todos os dias. O pretinho era o meu favorito. Seis crianças no meu quintal, cada uma com um gatinho, brincando de casinha, eles eram os nenéns.
A gata da minha bisavó confiava em nós, e deixava os filhotes brincarem com aquele bando de criança.

14 de agosto de 2017

Não sou Ninguém! Quem é você? Ninguém também?


A Bruna pré-adolescente mergulhava em poesias mórbidas e as procurava pela internet e pela biblioteca do bairro. Além disso, eu tinha uma agenda onde os transcrevia e desenhava coisas tristes nas páginas ao lado. Foi em procura de poemas mais melancólicos que encontrei Emily Dickinson (1830-1886Massachusetts - EUA), apenas uns poucos versos num blog que eu nem me lembro o nome.
Então eu soube que ela escreveu mais de cem poemas, porém publicou em anonimato somente dez em um jornal, e não publicou nenhum livro enquanto estava viva. Ela era totalmente reclusa, e viajou apenas duas vezes por questões de saúde. Emily era conhecida como a "Grande Reclusa", sua vida foi para a poesia, ela escolheu não se casar e nem ter filhos, e viveu com os pais até os últimos dias, ela viveu até os 56 anos.
Emily escrevia seus poemas diariamente, e confeccionava seus próprios caderninhos de poesia, costurando-os à mão, e guardando-os na gaveta. 

13 de agosto de 2017

Os dias passam rapidamente.


Estou sumida do BEDA desde sexta-feira, e esse é o ruim de não ter posts programados t.t
No dia do meu sumiço, eu estava fazendo minha sétima tatuagem com o Paulo Eduardo Cantizano, que fez também o desenho da minha outra coxa. Fazer tatuagem é uma coisa que dói, mas que depois dá tanta felicidade ver a arte ali na pele *-*!


Também vi um filme super amorzinho com o Biel, live action do mangá japonês Usagi Drop, onde um rapaz de 27 anos chamado Daikichi, ao ir ao funeral do seu avô descobre que este tinha uma filha ilegítima, cuja mãe ninguém conhece. A menina tem somente 6 e se chama Rin. Toda a família do Daikichi olha para a menina como se ela fosse um estorvo na família. Ele cansado e frustrado daquela atitude, decide cuidar da Rin sozinho. Ele não tem nenhuma experiência, mas acaba aprendendo na dificuldade e na determinação a cuidar de uma criança sozinho. Daikichi e Rin criam um laço forte e maravilhoso, foi um dos filmes mais amorzinhos que já vi esse ano *-* dei cinco estrelas!


No sábado, teve a tão esperada Agostina na casa do Biel, já estava marcada dois meses antes. Era pra levar comida de festa junina, bebida e roupa de caipira. Eu levei a minha irmã e foi muito divertido. Comi e bebi até não aguentar mais. E para quem me conhece há anos, sabe que ter tantos amigos assim era algo complicado para alguém tímida e antisocial como eu!

Participando do BEDA nos grupos Se organizar,todo mundo bloga | Café com Blog | United Blogs

10 de agosto de 2017

Projeto Literário Agatha Christie II


Eu conheci a Agatha Christie quando ainda estava no ensino fundamental, após visitar o sebo do meu bairro e encontrar um livro dela por dois reais! Depois de um tempo, eu descobri que a minha avó tinha todos os livros da Agatha quando era adolescente, mas os exemplares foram vendidos sem a autorização dela.
Quando eu vi que criaram o Projeto Agatha Christie, vi uma oportunidade para me impulsionar a ler todos os livros dela.
A Agatha escreveu mais de  88 livros de ficção! Sem contar ensaios e peças teatrais! De 88, eu já li 13, não é nem metade hauaha. Nesse post, falarei de apenas sete, e farei outros posts quando for lendo um certo número de livros dela. Acho que terminarei antes de morrer hauha.


A Agatha é conhecida como a Rainha/Dama do Crime, por escrever tantos livros bons de romance policial! Ela nasceu em 1890, na Inglaterra. Cresceu ouvindo as histórias de Conan Doyle, Edgar Allan Poe e Leroux, contadas por sua irmã mais velha, Madge. Mas foi a mãe que a incentivou a começar a escrever contos. Quando jovem, disse à irmã que poderia escrever uma história de detetive, a irmã duvidou, e em sua biografia Agatha disse que então, a semente foi plantada, e que ela havia sido atingida pela determinação de escrever histórias policiais.
Suas histórias mais famosas incluem seu detetive belga Hercule Poirot, e a detetive idosa e amadora Jane Marple (ou Miss Marple).

© Bruna Morgan | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.